AntroHH na OC Oswald de Andrade

À cabeça com aquele teto de vidro num céu azulejo, três de junho.

Povoamos, do começo ao fim da tarde, a área de convivência da Oficina Cultural Oswald de Andrade, no bairro do Bom Retiro, que se provou como tal.

Otávio orquestrou a mão amarela, que já muito educada, mostrou uma elegância extraordinária e recitou Hilda daí.

Mavi Strauss inaugurou sua performance “para nós” e endereçou algumas poucas e boas cartas ao vácuo pleno daquela tarde.

           

João tratou de cuidar do mistério acerca do “Espelho Mágico” que estreou a refletir  tanta luz.

 

Fotos: Martín Avaro